01.05.2013

Saudade

Horas infinitamente lentas...
a vista cansa,
o ponteiro do relógio não anda,
o vento parado.
Amanhã, amanhã, amanhã,
sonho com a manhã
em que estarás ao meu lado.

Mas o tempo
não conhece a briza,
apenas a tormenta,
me concede minutos de felicidade
e infindáveis...

Please reload

09.12.2016

09.12.2016

Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo

Poesias e Contos