Nova Iorque - 2014

New Idade Média 

Imensos templos new-góticos se erguem loteando o firmamento.
Árvores são entre grades aprisionadas.
Pessoas transitam nas sombras, sobre ou subterrâneas.

E eu, na Idade Média da Contemporaneidade,
como hambúrguer com coca-cola
para afugentar esses pensamentos opacos...

pela transparência com que os letreiros luminosos
apresentam as mais novas orações...
ações, ações, ações, business.

Tenho que pagar a conta!
Abro a bolsa, procuro Deus
(queria o toque do sol)

Mas estou só.

Na Igreja do Consumo,
se não tenho dinheiro,
sumo.

*escrito à sombra de um arranha-céu, ao sabor de um vento frio que me cortava a pele em março de 2014.