Fevereiro 2012

Procura

Mergulho bem fundo procurando a última recordação que tenho de ti já não enxergo está escuro sem ar sufoco e acordo num soluço.

Acabou

Toda tristeza que por ti senti Todo choro que por ti derramei acabou assim junto com a tinta desta caneta.

Não sei

Não sei escrever poesia. Passo semanas, meses, anos sem vontade. De repente, sem mais, incontrolável catarse de ritmo, derramo tinta no papel. se nasce feia ou bonita grave ou aguda saudável ou doente não sei, já não me pertence.

Disfarce

Uma alegria que contagia... Um sorriso puro, lindo... Um olhar a brilhar... tudo para esconder uma solidão que não para de crescer.

Hora boa

É sempre nessa hora. A cabeça voa, realidade...fantasia fantasia...realidade. Idéias surgem. Mergulho para alcancá-las. Durmo.

Envelhecer

Me dê uma ruga. Uma não, várias. Mas não de uma uva a toa. Que eu quero mesmo é envelhecer como um vinho de uma safra boa.

o mar

O mar minha calma alma acalma.

Rima

Por não saber rimar, combino: feijão com jabá, mel com farinha e banana com caviar.

Ora

Ora sol, lua. Ora mar, terra. Ora cheio, vazio. Ora inteiro, partido. Ora tudo, nada

Estomago embrulhado

Uma pitada de amor mal dormido. Um pouco de sonho mal vivido. Um sorriso excessivo, falso, fingido. ressaca, enjôo. eu só queria vomitar esse resto de amor, de sonho que acabou.

Amargo

Os olhos caem pesam se fecham tento abrir desisto e na boca um gosto de choro.

curtir

hoje é dia de curtir toda a tristeza que você deixou aqui.

Pouso

Mais um vôo de volta de ida um dia pouso.

Espera

Mão no braço da cadeira cabeça pendendo para o lado demora, demora, demora tédio e cansaço.

Lembranças

Lembranças invadem dominam ora amigas ora inimigas e fazem a festa.

Dor-de-cotovelo

E eu que só queria ser feliz fiquei assim chorando por ti invejando os casais sentido pena de mim.

Apesar

Apesar da desilusão da tristeza e do não a gente é mais forte corre torce e quem sabe com uma pitada de sorte acontece.

Espelho

Certo dia vi A beleza que havia em mim foi de repente Apenas um vulto Refletido no espelho Dos olhos de meus amigos.

Preciso de um humor

Quero um Humor Cor de Lilás Tranquilo e placido que renove meu coração para eu amar mais.

A espera

Era uma vez uma menina que vivia esperando. Ela acordava e já esperava. Esperava que tudo desse certo, Que o mundo lhe sorrisse, Que os sonhos acontececem, Que o amor chegasse, Que nada lhe faltasse. Ela cresceu, tornou-se adulta, envelheceu, Depois morreu. Ainda esperando.

Calma

Escrevo Risco Apago Escrevo Escrevo Escrevo Risco Apago Escrevo Escrevo Passou Calma.

Percurso

No começo era uma angústia Dos futuros incertos Depois uma tristeza Das desilusões saboreadas Seguida por uma melancolia Dos amores ressentidos Para se acabar numa poesia De versos desconsolados.

Poeminha

Um poema Simples Assim Chinfrim É tão gostosinho.


Posts Recentes
Arquivo