Outubro 2014

VRIKSHÁSANA

StartFragment

Repouso minha cabeça em teus ombros de madeira. Me cubro com teu manto de folhas envelhecidas. Respiro teu aroma de tantas vidas e desperto aqui na Terra prometida. Longe onde, idas e vindas, finda o pensamento. Meus pés penetram o solo, me moldo ao vento, recebo a benção das águas... Sou todo espaço e não mais tempo.

Tinto soneto

Uma nevoa espessa me impede de sair de casa Abro a porta, só vejo o nada. Tomo um gole de vinho tinto e não sinto o frio Da nevoa espessa que me espreita e me espera...por eras só uma gota de vinho tinto e sinto...

EndFragment


Posts Recentes
Arquivo