Abril 2015

A praia II

StartFragment

Tem uma praia em outro planeta. Uma praia secreta, uma praia deserta, uma praia que já foi cheia. É lá onde o tempo descansa, onde os sonhos adormecem e onde o vento exibe sua dança. mar que derruba a terra Terra que vira pedra. Pedra que vira areia areia que retorna ao mar Conto ao mar um segredo; o vento vem e espalha pelos coqueiros.

Deixa chover

Deixa chover E que seja a chuva derradeira. Inunda todos os cantos dessa casa, Leva as telhas, os moveis, o pó, Não deixa sobrar nada. Eu quero mais é reconstruir, Inventar uma outra história Para habitar aqui. Entao, chove, chove, chove... Até não sobrar nuvem, Até o solo encharcar, Até o sol raiar E secar todo o excesso E germinar vida da lama e abrir os olhos de quem sonha.

Respiro

Futuro Apuro Aturo Surto Respiro Presente Consciente Mente Sente

Flor

Tão perto que já não enxergava o branco, a cegueira do excesso dessa mente clara, racional. As pétalas coloridas de meu corpo não conhecem a lógica das combinações cromáticas socialmente aceitas. Sinto as cores correrem em minhas veias.

EndFragment


Posts Recentes
Arquivo