A praia

"Quando me acontecer alguma pecúnia, passante de um milhão de cruzeiros, compro uma ilha; não tão longe do litoral, que litoral faz falta; nem tão perto, também, que de lá possa eu aspirar fumaça e a graxa do porto. Minha ilha (e só de a imaginar já me considero seu habitante) ficará no justo ponto de latitude e longitude que, pondo-me a coberto de ventos, sereias e pestes, nem me afaste demasiado dos homens nem me obrigue a praticá-los diuturnamente. Porque esta é a ciência e, direi, a arte do bem viver; uma fuga relativa, e uma não muito estouvada confraternização".

"Sou pouco afeiçoado à natureza, que em mim se reduz quase que a uma paisagem moral, íntima, em dois ou três tons, só que latejante em todas as partículas".

"E felicidade não é em rigor o que procuro. Não. Procuro uma ilha, como já procurei uma noiva".

“De há muito sonho com esta ...., se é que não a sonhei sempre.”

“Que miragens vê o iluminado no fundo de sua iluminação?”

Carlos Drummond de Andrade - A Ilha